Arquivo da tag: agathocles

Banda AGATHOCLES (Bélgica) em entrevista exclusiva

Fundada em 1985 a banda AGATHOCLES (da Bélgica) esteve em São José do Rio Preto/SP em novembro de 2013 para um show na Cervejaria Riopretana. Em uma entrevista exclusiva o baterista Nils Laureyns nos conta detalhes da turnê brasileira “DESTRUIR PARA CRIAR” além de detalhes peculiares da carreira da banda. Confira:

Imagem
1) O que significa o nome da banda AGATHOCLES? É alguma referência a Agathocles do Egito, Grécia, ou algum rei de antigas referências históricas?
Agathocles é o nome de um antigo tirano grego. Na década de 80, Jan (integrante fundador da banda) estudou grego antigo e encontrou este nome AGATHOCLES. Ele gostou do som desse nome e achou toda a história deste tirano muito interessante. Então sugeriu esse nome para o resto da banda e naquela época e todos eles gostaram. Jan também acha que esse é um nome original.

2) Vocês tem a oportunidade de viajar pelo mundo e também de aprender sobre as diferentes realidades de outros países. Isto pode influenciá-los de alguma forma?
Bem, eu acho que sim, especialmente no início, quando GRINDCORE era desconhecido em alguns países. Através de trocas, envio de cartas, etc, o GRINDCORE se espalhou mais. A letra, a música e a visão por trás do GRINDCORE tem se espalhado cada vez mais também. Agora eu acho que o estilo GRINDCORE é conhecido em quase todos os países. Agora é uma questão de ser crítico sobre a música (o que algumas pessoas definem como GRINDCORE), sobre a política naquele país… A maioria de nossas letras são críticas. Isso significa que você não deve tomar nada como garantido. Um espírito crítico é uma mente observadora e esse tipo de mente é uma arma para criar mudanças.

Imagem

3) Como começou tudo? Qual era o propósito da banda quando ela foi fundada?
As raízes da AGATOCLES podem ser encontradas em 1985, com alguns jovens todos provenientes de uma cidade chamada Mol. Começamos a fazer um pouco de música extrema juntos. Esse era o nosso objetivo! Durante os anos nós fizemos muitas gravações, shows, turnês… e nós também tivemos um monte de mudanças de formação.
Jan (Baixo / Voc.) ainda está na banda desde 1985. Nils (bateria / voc.) está tocando desde 2006 na banda. Koen (guitarra) entrou em 2013 e também estava conosco em nossa última turnê no Brasil.

4) Quais foram as influências musicais mais importantes?
Algumas influências para nós são: CONFUSE, REPULSION, HELLHAMMER, OLD PAGAN, GAI, SWANKYS, TERVEET KADET, UBR, NEOS, UNHOLY GRAVE,MALIGNANT TUMOUR, AXED UP CONFORMIST, MITTEN SPIDER, NIET, SLOD, OLHO SECO, ROT, STOMACHAL CORROSION, NIHILISTICS…

5) Como é para vocês serem considerados um dos principais expoentes das bandas do gênero GRINDCORE?
Bem, é claro que é legal que bandas encontrem inspiração em nossa música, letras e apoiam a campanha contra o negócio da música.

Imagem6) Você lançou mais de 100 álbuns, certo? Como foi isso exatamente? Aconteceu naturalmente ou foi intencional?
Bem é melhor verificar a última discografia recente haha, porque talvez quando esta entrevista estiver lá fora, haverá novo material adicionado. Eu acho que com cds, fitas e vinil, juntos, estamos em torno mais ou menos 500 peças. Com as fitas serão toneladas a mais. Bem, este acontecimento foi intencional e também natural.

7) Porque a formação de vocês muda constantemente ? Isso acontece naturalmente? Jan Frederickx, por estar na banda há mais tempo, é o líder?
Isso é certo, Jan é um membro original desde o início. Eu desde 2006. Tony começou na banda comigo em 2006, mas ele morreu em 2008. Tony também estava conosco em nossa primeira turnê na América do Sul (consequentemente no Brasil também). Desde então Bram, um amigo de todos nós, juntou-se à banda. Em 2013 Koen substituiu Bram na banda. Há muitas razões pelas quais as pessoas saem da banda. Família, trabalho, tempo, mudança de gosto de música. Bem, não há líder na banda. Todo mundo faz a sua parte. Todos nós compomos a música, cuidamos de shows, de gravações, etc.

Imagem8) Qual a mensagem que vocês tentam passar a com suas letras?
As letras são muito importantes para nós. Representam uma grande parte da música para nós. As letras lidam com as coisas que estão nos incomodando e que achamos que são importantes para contar para as pessoas. Nossas letras são destinadas a passar às pessoas informações sobre certas coisas, como os direitos dos animais e dos humanos, ecologia, política, ‘ o cenário ‘, a economia, os problemas do terceiro mundo. Mince Core é para mentes ativas!

9) Mesmo depois de muitos anos de carreira, vocês ainda mantêm características musicais originais. Você acredita que é a lealdade dos fãs da “velha escola” e também querem ganhar a admiração de novos seguidores a cada turnê?
Nós gostamos do que nós tocamos. A música não tem que ser difícil. GRINDCORE não é um campeonato de ser o mais técnico, mais rápido ou o quer que seja. GRINDCORE é PROTESTO!

10) É verdade que Jan não aceitou tocar nos EUA? Pode nos passar o porquê disso?
Até agora, de fato, nós recusamos algumas ofertas dos Estados Unidos. Bem, mas não é verdade que nunca queremos tocar lá, só não encontramos o tempo até agora.

11) É a segunda vez que vocês tocam no Brasil?
SIM, e eu espero que não seja a última vez. Ambas foram grandes experiências!

Imagem12) Geralmente, quando se trata de Brasil , as pessoas só pensam em carnaval, mas isso não ocorre o ano todo. O Brasil é como você imaginava?
Haha , sim eu sei, é claro, em geral, eles mostram na TV, revistas, por exemplo; as belas praias, o Cristo Redentor, carnaval, pessoas dançando samba e assim por diante. Sabemos e sabíamos que por trás disso muitas pessoas vivem na pobreza e lutam para sobreviver. Fiquei realmente surpreso em ver que os preços subiram tão rapidamente no Brasil, mesmo para produtos básicos. Então, eu tenho certeza que a diferença entre ricos e pobres tornou-se ainda maior. Eu sei que muitas pessoas no Brasil consideram o futebol como uma espécie de segunda religião. Então agora vocês têm a copa do mundo chegando e que isso requer muito dinheiro. Eu amo o Brasil como um país em si porque ele tem muitos belos aspectos, mas por trás de toda essa beleza se esconde a pobreza, a corrupção policial, violência.

13) Você foi bem recebido pelos brasileiros? Você curtiu a hospitalidade dos brasileiros? Como foram os shows no Brasil? O que foi o melhor desta turnê?
Bem, o que dizer sobre isso? “ADOREI” (haha). Bem, para mim foi a terceira vez no Brasil. Então, nós já conhecíamos muitas pessoas, foi incrível ver novamente toneladas de amigos. Para mim foi uma sensação de voltar para casa! Sério, ainda sinto muita falta! “SAUDADE MUITÃO”. Desta vez, Alex (bucho) nos buscou e ele nos levou para o estúdio Caffeine em SP, onde alguns amigos nos aguardavam e nós festejamos até de manhã. Neste estúdio nós também gravamos um novo álbum em colaboração com pessoas do ROT, Armageddon e Social Chaos.
Os shows no Brasil foram ótimos e as pessoas estavam muito entusiasmadas. Nós realmente não temos preferência por um show, pois cada um foi uma experiência diferente e muito boa.

Imagem14) Todos conhecem a banda, mas e a vida de vocês na Bélgica?
Bem eu e Jan somos ambos assistentes sociais. Eu trabalho com ex-moradores de rua e ex-prisioneiros. Jan trabalha com pessoas que tiveram uma deficiência mental. Koen trabalha em uma fábrica de aço. Além disso, nós estamos muito ocupados com música, é claro. Por exemplo, eu organizo todos os anos um festival grind / punk de 2 dias em minha cidade natal Geel. Minhas outras bandas no momento são Gi Joke (minha banda antes de Agathocles que nós reformamos recentemente) e Onanizer (antiga banda da República Checa)

15) No ano passado vocês estiveram na Indonésia, você pode nos passar uma ideia do “Cenário ” naquele país?
Wow … sim exatamente, nós também fizemos uma turnê pela Indonésia no ano passado. Foi um ano muito ocupado no geral. Bem sobre a Indonésia, há uma enorme “cenário”. Há muitas pessoas que tocam em bandas, publicam e gravam DIY (DIY = Do It Yourself = faça você mesmo)… Não há palavras para expressar o respeito que eu tenho por eles e na forma como eles apoiam o ‘ cenário ‘ . Eu acho que é um dos maiores e mais ativos “cenários” do mundo.

Imagem16) Você tem contato suficiente com o cenário brasileiro, e aqui há bandas que você gosta?
Hahaha … sim são muitas para nomear eu suponho. Mas, para lhe dar uma ideia por mim mesmo; ROT, No Rest, Olhoseco , Ratos de Porão, Demian, Industrial Holocausto, Ruído, Armagedom, Social Chaos, Spit Blood, Infamous Glory, RTL , Declino social, Cólera , Abusosonore, AçãoDireta , AtackEpiléptico , …. Muitas para citar! Vocês tem um monte de grandes bandas e músicos no Brasil. E também nas duas turnês eu descobri muitas grandes bandas que eu ainda não conhecia.

17) O verdadeiro GRINDCORE sempre foi e será um movimento anti-capitalista, certo? O que você acha de bandas que pensam ser GRINDCORE, mas acabaram se vendendo para ofertas tentadoras de gravadoras ?
JAN FREDERICKX: Hoje ” GRIND ” é muito usado por bandas que não têm nada a ver com GRIND CORE. Quero dizer, bandas que passam meses no estúdio, pagando preços enormes para as gravações, riffs ultra técnicos e solos, letras vazias, pedindo preços enormes para os seus shows… poxa, isso é heavy metal tocado de uma maneira rápida, não Grind. GRIND é cru, minimalista, barulhento, bruto, sócio e politicamente conscientes. 90% das bandas que estão sendo promovidas por grandes gravadoras como GRIND CORE são bandas de metal! E se for assim, então GRIND está MORTO para mim.

18) Voltando a ter mais de 100 álbuns lançados, temos alguns amigos no Brasil que anseiam pela discografia de vocês e imaginam que nunca terão. Você sabe de alguém que conseguiu esta proeza de ter a discografia completa dos Agathocles?
Bem, se estamos falando de fita, vinil e lançamentos de Cd, eu acho que temos mais de 500 peças agora. E ainda algumas coisas irão sair em breve e, posteriormente, é claro! Para promover (haha) nós lançaremos logo Agathocles / Joke Gi. Bem, eu conheço algumas pessoas que têm todos os vinis.

Imagem

19) Você já pensou em uma terceira turnê no Brasil? Quais são os seus planos para o próximo ano?
Bem nós amaríamos voltar com certeza e eu, pessoalmente, espero que isso possa acontecer em breve. Bem, este ano vai ser difícil de fazer uma turnê maior causa falta de feriados. Bem, este fim de semana (01 de maio), temos uma mini – turnê na Hungria, Sérvia e Eslováquia. Temos alguns shows planejados pela Europa. O que por agora já está reservado são shows na Alemanha, Suiça, Bélgica, Holanda, República Checa. Mas é claro, é possível que nós iremos a mais países este ano.
Por favor, eu quero também agradecer você por esta entrevista. Um grande obrigado a Alex bucho e Renato (Armagedom) por ‘ ter cuidado ‘ de nós nesta turnê! Também a cada organizador e todo mundo que estava participando também para fazer desta visita uma explosão. GRANDE Saúde também a todos os amigos no Brasil. Vejo vocês em breve! TRITURE

20) Em 1988 se não me engano o Agathocles lançou a demo Cabbalic Gnosticism, e foi com certeza o ponto de partida de tudo. Este ano (2014) um amigo conseguiu uma copia desta demo (e amou o material), e inclusive se juntava com outros amigos, no final de semana, para se divertirem, tentando tocar as musicas de vocês (desta demo). Como vocês veem que uma material lançando em 1988 ainda esta sendo comentado em 2014?
Bem, é ótimo que as pessoas ainda se lembram e respeitam este álbum. Algumas pessoas chamariam isso, talvez em 2014, de porcaria ou apenas uma merda barulhenta. Na minha opinião eu vejo um monte de pessoas no subsolo que ainda pensam que a demo ou o primeiro álbum de várias bandas seja considerado como seu favorito. Porque é assim que a banda começou. Você sente e vê a chamada “progressão” da banda. No entanto eu acho que essa progressão nem sempre é uma coisa boa. Algumas bandas tentar seguir a tendência, criar mais de som adequado, um som mais técnico, … Não nossa xícara de chá! (expressão que significa : “Não é isso que gostamos”) Nós preferimos misturar o chá preto! (podendo significar que preferem algo mais amargo).

ImagemFotos do show realizado dia 07/11/2013

Agradecimentos: Nils Laureys, TOMBAJARRA PRODUÇÕES DxIxYx e também ao colaborador Rodrigo Jacaré AcademicWorms

http://www.agathocles.com/