Arquivo do mês: julho 2010

Mulher – O fruto proibido é um arquétipo que resiste ao tempo.

Na civilização judaico-cristã, mesmo antes de se reconhecer a mulher como um ser provido de alma (Concílio de Nicéia – Ad 325), ela foi usada como material de propaganda, em favor de causas de todas as naturezas.

Entre as setes maravilhas do mundo antigo o Templo de Afrodite, ao lado do Templo de Zeus. O sincretismo romano de Afrodite è Venus. Ninguém poderia imaginar que muitos séculos depois, o preservativo masculino iria se chamar camisa de Venus, cujo uso antecede o pavor da AIDS e das Hepatites.

Antes da era cristã a mulher Cleópatra desfilou na Via Apia ao lado de Marco Antônio. Uma linda mulher já era o atestado do poderio e virilidade de um homem importante. Onassis e Sarkosi repetiram apenas o exemplo romano.

Elisabeth Taylor in Cleopatra

Ao longo da história dos humanos, Simone de Bouvoir nos ensina que a primeira reverência à mulher pelos homens remonta à fase, quando escassearam os vegetais e a caça em torno do acampamento e o homem primitivo saiu para obter seus víveres em plagas distantes. Ao voltar já era primavera.

O reflorescer das árvores, os novos frutos e a volta dos animais foram associados à fertilidade da mulher. Os homens passaram a venerar a mulher como a deusa da sua sobrevivência. Os homens, comenta Simone (O Segundo Sexo) nunca permitiu que a mulher ficasse no seu nível. Podem até ficar em um patamar mais alto, mas jamais em pé de igualdade. O homem contemporâneo perpetua o conceito – minha mulher é uma santa, minha patroa, minha rainha.

No Velho Testamento, o Livro de Rute é um libelo contra o preconceito e a discriminação ao estrangeiro. Rute foi sem dúvida a precursora das agentes de turismo, uma atividade deveras afeita ao estilo feminino.

Na Idade Média tivemos a consagração da mulher nas obras de arte, pontificando as diversas Nossas Senhoras, como as de Botticelli. O tempo consagraria à Mona Lisa, La Gioconda, os maiores louvores e a certeza que uma visita ao Louvre é um prazer a que nenhum mortal pode se furtar.

Mona Lisa - La Gioconda

Apesar de representarem metade da população mundial, a mulher sempre foi e ainda é uma minoria na vida pública. As minorias são sempre muito rigorosas com elas mesmo. Isto sem falar que a libido é um instinto no macho, enquanto na fêmea a maternidade é o maior apelo.

Numa sociedade regida pelo pecado original, a mulher tem muito mais confiabilidade que o homem. Nem mesmo a liberação da mulher encerrou este paradigma. Soma-se a isto, uma sociedade extremamente machista. Uma professora que ganhe mal é uma heroína, um homem um fracassado. A mulher é menos suscetível à corrupção que o homem.

Por todas estas razões, a mulher se tornou um veículo de propaganda incomparável, pela sua credibilidade e princípios éticos. Não há dúvida que foi o cinema o grande motivador da inserção da mulher nas atividades de propaganda e marketing. Ainda no século XIX, no cinema ainda sem animação o nu frontal feminino exerceu um grande fascínio. A partir daí, o cigarro passeou nos lábios famosos e desejados de Avas Gardner, Ritas Hayworth, Jeannes Morau e, na sua máxima expressão, simplesmente a mulher do charmoso e enigmático Boogie (Humphrey Bogart). Copos com champagne e wiskey deram porres homéricos em Beth Davis, Romy Schneider e a eclética Ava, segundo Hemingway, o animal mais belo já visto na terra.

o cigarro passeou nos lábios famosos e desejados de Ava Gardner

A sensualidade e a nudez sempre foram usados com grandes apelos na comercialização dos filmes. Desde Êxtase com Heddy Lamar até Os Cafajestes com Norma Bengel. No Brasil, porém, muito antes de Leila Dinis, Luz Del Fuego e Elvira Pagã fizeram do nu frontal o prazer dos homens, curiosos e punidos com a Torre de Babel, mas excitados por um joelho ou um decote, muito mais do que por um fio dental numa praia qualquer. O fruto proibido é um arquétipo que resiste ao tempo.

Anúncios

Portal Terra

O portal a ser pesquisado é o portal Terra (www.terra.com.br).

O Terra Networks é uma rede de portais e ISP, essa sigla significa Internet Service Provider ou provedor de acesso à Internet. A empresa faz parte do grupo Telefônica que, em 1999, adquiriu empresas de internet locais em países além do Brasil, como México, Chile e Espanha, lançando naquele mesmo ano, a marca Terra simultaneamente na América Latina e na Europa.

A História do Portal Terra no Brasil

Terra Brasil é uma pequena parte do Terra América Latina. Presente em 18 países, incluindo Estados Unidos, o Terra América Latina mantém portais na Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica, Equador, El Salvador, Estados Unidos, Guatemala, Honduras, México, Nicarágua, Panamá, Peru, Porto Rico, República Dominicana, Uruguai e Venezuela.

O portal hoje conhecido como Terra Brasil tem uma longa história, iniciada com a antiga Nutec Informática S.A, fundada no ano de 1987 em Porto Alegre. A Nutec Informática era uma revendedora de softwares e integradora de sistemas.

Em outubro de 1995, a Nutec criou a NutecNet, visando ingressar no mercado da internet. Seu modelo de negócios permitiu uma expansão de sua rede através de franquias. Neste momento, a empresa visou não apenas o ambiente corporativo, mas também o do usuário comum.

Em 1996, a empresa foi adquirida pelo Grupo RBS. Com isso, é criado o Canal Interativo ZAZ, antecedor do portal Terra, sendo este um dos primeiros canais de entretenimento e lazer no Brasil. Ainda assim, a marca NutecNet era mantida como ISP. Porém, em 20 de março de 1998, a marca ZAZ assimilou a marca NutecNet, tornando-se tanto ISP (Internet Service Provider) como ICP (Internet Content Provider).

Em fevereiro de 2000, o ZAZ foi adquirido pelo grupo espanhol Telefônica, substituindo a marca para Terra, à qual conhecemos até hoje. Em maio do mesmo ano, a Lycos Inc se uniram em um acordo, criando a Terra Lycos. Com isto, a empresa se tornou uma das redes mais populares das internet no mundo. Esta parceria se encerrou em 2004, quando a Daum Communications, um portal da Coréia do Sul, comprou a subsidiária norte-americana Lycos. O portal em espanhol nos EUA se mantém sob o domínio do Terra nos dias atuais.

Referencias Bibliograficas desta página:

Terra Networks. Disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Terra_Networks&gt;. Data de acesso: 01 de junho de 2010.

Proposta

A proposta do Terra consiste em utilizar o portal como suporte para o jornal no formato digital. Caracterizando um produto de preocupação jornalística específica para a Internet e suas particularidades.

O site possui boa qualidade do sistema hipertextual e multimídia, além de grande facilidade de navegação. Pode ser classificado como um produto pensado exclusivamente para a rede, apresentando funcionalidade e simplicidade operacional no acesso às ferramentas multimídias.

O portal em sua lingüística escrita usa de frases curtas e se mantém em nível típico de internet. Possui narrativa simples e de fácil entendimento. Apenas utiliza um linguajar mais sofisticado em blogs hospedados referentes à política e economia.

Layout

O projeto chamado Átomo, da empresa renomada Razorfish, foi o criador do novo layout do Terra. Este carinhosamente foi chamado de “Portal do Futuro” pelos 400 profissionais e 300 especialistas em design e internet que o criaram em 2009.

Segundo o próprio Terra, o novo layout teve o custo de 10 milhões de dólares. As novas mudanças ocorreram no quesito de interatividade e tecnologia e não no formato jornalístico.

Cada notícia está relacionada a um tema, sendo que na página da notícia a direita há e chamadas das ultimas três noticias publicadas, o que facilita o acesso às informações.

Ainda na página da notícia são apresentados links para notícias relacionadas, links para vídeos e fotos (quando houver). Também há uma caixa com as últimas notícias, outra com os mais vistos de todo o site (basta apenas escolher a sessão), além de links para imprimír as noticias ou enviá-las por e-mail para amigos, e botões de compartilhamento (del.icio.us, facebook, etc). Banners publicitários, que também estão presentes.

Dentre os pontos positivos da aparência visual está autêntico layout pelado com fundo branco, excelente para leitura, característico da Web 2.0. Podemos destacar também a coerência de tipologia, praticidade no menu principal, o menu do tema na página da notícia, manchetes e descrições claras das notícias, ícones nas manchetes indicando fotos/vídeos, boa variação nos formatos das manchetes, links de notícias relacionadas, fácil acesso aos canais de contato (o que é importante) e enquetes.

A perfeita exibição do site acontece apenas em 800×600 no FF, o que deixa a desejar. O excesso de banners publicitários por todo o site e a impossibilidade de alterar o tamanho da fonte da notícia são pontos negativos característicos.

Imagens

Foi observada uma boa adequação das fotografias, adequação dos infográficos e dos elementos audiovisuais ilustrativos no Portal Terra.

As imagens do Terra são empregadas na web como um recurso da narrativa jornalística e muitas vezes funcionam como mera ilustração. No entanto trazem a possibilidade de uma maior interatividade, de personalização e memória.

O portal Terra sempre emprega várias imagens fotográficas na página inicial, porém não proporciona créditos às imagens. Não foram encontrados dados referentes à autoria ou distribuição na página inicial do site.

No Terra Notícias há apenas a utilização de imagens adquiridas das agências de notícias, mesmo quando o fato ocorre no Brasil. A agência Reuters permanece como uma das principais fontes de imagens fotográficas.

As limitações técnicas algumas vezes levam o site a trabalhar com imagens de baixa resolução, com poucas cores e baixa definição de detalhes. Na maioria das vezes, as imagens servem de ilustrações ou ‘botões’ de entrada para outros canais ou áreas do Portal.

Hipertexto

A interatividade e o acesso não-linear são importantes recursos do hipertexto e da multimídia, utilizados freqüentemente pelo webjornalismo. 

No portal Terra o internauta, de forma aleatória e personalizada, tem a possibilidade de conduzir a própria leitura e construir os roteiros que deseja por meio dos links de conteúdos associativos, estes que possibilitam o acesso e disponibilizam atalhos para outras páginas, estimulando dessa maneira uma pesquisa mais aprofundada sobre o assunto referido.

Os links são os responsáveis pela leitura não-linear. Eles dividem o texto em diferentes blocos específicos, onde há a possibilidade do internauta fazer seu próprio curso, da maneira como deseja.

Multimidialidade

O portal Terra emprega diversos suportes de comunicação lado a lado. Temos por exemplo o Rádio Terra, Terra TV, Sonora além de vídeos, séries, filmes, que caracterizam a convergência de mídias, esta que engloba a fusão dos formatos tradicionais. O internauta é ao mesmo tempo, ouvinte, leitor e telespectador.

“TV Terra” A Primeira Televisão da Internet Brasileira

Em 19 de outubro de 2000, um Chat Show (prova funcional da tecnologia), trouxe shows eletrificados em formato acústico. O artista conversou com seus fãs do mundo todo, também misturou de forma criativa e eficiente um bate-papo com música ao vivo, marcando dessa maneira a inauguração do estúdio multimídia do Portal Terra, que recebeu investimentos de US$ 1 milhão.

Com 100m2 o estúdio multimídia do Portal Terra possui equipamento de transmissão ao vivo, acoplado a três ilhas de edição digitais e 14 câmeras e já produziu mais de dois mil programas diferentes em vídeo.

No começo, a TV Terra não tinha grade de programação, passava videoclipes e trailers, imagens básicas e pouco trabalhadas, sem ousadia, um indício de que o início da WebTV, no Brasil, não foi dos mais atrativos. A conexão dos usuários certamente não ajudava.

O “Jornal da Lílian” caracterizou a primeira grande produção multimídia do portal Terra, apresentado pela jornalista Lilian Witte Fibe. No mesmo ano, estreou o “Esportes Show”, um programa de mesa-redonda da Internet brasileira, apresentado pelo jornalista Wanderley Nogueira. Ambos jornalistas e apresentadores de sucesso.

Após a criação da TV Terra, o estúdio passou a abrigar outros programas. Atualmente há programas sobre esportes, culinária, ginástica, além de videoclipes musicais e trailers atrativos. O espaço também é palco de shows, com artistas do cenário musical brasileiro e internacional, transmitidos, ao vivo, pela Internet.

Os internautas podem interagir com os artistas enviando perguntas, que são encaminhadas e selecionadas pelos apresentadores aos convidados.

Atualmente o carro-chefe da TV Terra é o “Jornal do Terra”, que vai ao ar ao vivo, de segunda a sexta-feira, com edições às 11 horas, 15 horas e 17h30.

Os takes costumam ser fechados, em close. O plano de tomada é do médio para o fechado, pois a qualidade de transmissão de imagem ainda é ruim na Internet. Nas reportagens, o repórter não aparece e não existe passagem, apenas o off. O vocabulário é de fácil entendimento, solto, leve e coloquial.

Vc repórter

O Portal Terra possui um canal de webjornalismo participativo chamado vc repórter. Neste canal participativo, a audiência passa de mero receptor passivo de informações para produtor de notícias. Geralmente estas notícias são curtas e remetem apenas aos fatos principais, basicamente ao lead.

As noticias do vc repórter são produzidas por “cidadãos comuns”, que na maioria dos casos tiveram presença física no momento exato em que o fato narrado ocorreu. A publicação rápida ou instantânea faz com que seja valorizada a dinamicidade do processo, privilegiando assim a criação e desenvolvimento de um conteúdo exclusivo, na qual todos os participantes atuaram na relação.

Este processo faz do usuário um agente capaz de desenvolver o conteúdo, que antes de publicado no site é filtrado por editores. Entretanto, em comparação com o jornal impresso, a figura do editor continua a subsistir, a fim de publicar o que cabe ao interesse editorial do veículo.

Com o webjornalismo participativo descentralizou-se a pessoa do emissor, os jornais perderam o poder de “donos da informação”.

A constante troca de papéis entre produtor e consumidor de informações e opiniões é uma das características mais marcantes do momento comunicativo do webjornalismo atual, presentes no vc repórter do Portal Terra.

Por meio da interatividade e dos recursos hipermídia do Terra, o internauta pode interagir constantemente com o meio e com outro cidadão através da estrutura informacional e tecnológica presente no portal. Além de comunica-se com os amigos, as pessoas podem encontrar e desenvolver um relacionamento afetivo, deixar um comentário e expressar a opinião sobre tal noticia, realizar compras, escutar música, assistir vídeos e principalmente assistir telejornalismo do TV Terra.


Autenticidade

Vamos pensar com nossos botões. Hoje em dia é preferível observar um vaso branco nu iluminado em uma sala do que assistir uma peça de teatro.

Um vaso branco iluminado numa sala é, e representa o signo da autenticidade no seu mais alto rigor. O vaso é ele mesmo, um ser autêntico e a iluminação é o meio necessário para que todos o possam ver como ele é. O vaso é o ser exposto.

O teatro de fantoches ainda tem algum mérito, pois, são seres inanimados movimentados por alguém que não se apresenta como tal. E, portanto, a situação é vivida como ficção e não como realidade. Quanto ao teatro clássico, seja na versão de monologo, ou tragédia e comédia, tem a pretensão de ser um fato real em um ambiente irreal e conduzido por pessoas que nada tem a ver com a essência dos protagonistas com o fato. A voz é impostada, o choro ou o riso são adredes (previamente) preparados e os gestos estereotipados sem nenhuma correspondência com as emoções vividas.

A maior parte dos freqüentadores do teatro, o fazem por imposição social, para exibir uma pretensa inclinação cultural não consistente. De tal forma o teatro é desacreditado e as pessoas não dão conta disso, e até quando alguma discussão é feita sobre assuntos não relevantes todos usam a expressão “vamos acabar com esse teatro”.